Há mais de seis anos eu fiz tudo o que podia para acabar com as dores no quadril. Minha artrose começou em 2011. Eu dançava tango, bolero, e me apresentava com um grupo em vários lugares – fomos até a Buenos Aires. No fim daquele ano, começaram as dores fortes e eu não podia parar as apresentações. Para conseguir dançar, aplicava injeções, ácido hialurônico e todos os remédios que você imaginar tomei. Em 2012 fiz um procedimento  experimental com “células-tronco”, mas não deu certo. A doença é progressiva e as dores começaram a ficar piores. Parei de dançar.

Cheguei à depressão e só chorava, sem encontrar solução para o meu problema. Você se sente cada vez pior. Em um desses dias, eu estava desesperada chorando até tarde da noite. Comecei a procurar uma ajuda na internet. Peguei o Ipad e fui analisando formas alternativas à cirurgia. Foi quando caí na técnica Via Anterior – AMIS, e vi um vídeo em um hospital francês. O maquinário usado na cirurgia me chamou a atenção. Busquei saber a referência no Brasil e deixei um recado para o médico que estava cadastrado nesse site europeu. Pronto: era o Dr. Marco Aurélio.

Com apendas uma consulta, eu já estava decidida a fazer a cirurgia. Vi uma paciente que estava andando 24h depois da operação, e isso me convenceu. Fui de olhos fechados. No momento tem oito dias que fiz a cirurgia. Percebi que o corte é mínimo, um terço do corte da operação normal, e essa técnica exige menos pontos também. Outra coisa muito importante: o pós-operatório é maravilhoso. Tenho uma conhecida que fez a mesma cirurgia e ela não teve uma recuperação tão fácil quanto a minha. Em dois meses ela ainda não consegue andar naturalmente.

Mexer com a mobilidade de uma pessoa é mexer com a vida dela. Eu não estava fazendo mais nada, não estava vivendo. Não saía mais de casa, não andava, não fazia sexo, entrar no carro era aos poucos, e num carro baixo nem pensar! Tenho 60 anos, mas parecia ter 100. Agora até no banho sinto que já consigo fazer movimentos que não conseguia. É viver de novo.

M.F.R., 60 anos

VOLTAR PARA TODOS OS DEPOIMENTOS

FALE CONOSCO

Você pode entrar em contato pelos telefones, redes sociais ou pode enviar uma mensagem

Agendar uma consulta
WhatsApp
Formulário