Uma dúvida muito comum de quem tem artrose:

É preciso parar a atividade física que já fazia? Escuto sempre: “Doutor, amo jogar futebol, como vou viver sem isso?”.

A resposta sempre depende, claro, do estágio em que a artrose está e do tipo de atividade física, assim como a frequência de jogos. Quando surgem dores nas articulações, ou mesmo se você passou dos 50 anos, é recomendável fazer uma avaliação médica da condição das estruturas ósseas do seu corpo, antes de continuar a fazer um esporte ou mesmo antes de começar a se exercitar.

Geralmente, não é preciso parar a atividade física, mesmo tendo diagnóstico de artrose. Se você estiver disposto e sem dores, mantenha seus exercícios e peça ao médico que indique a melhor atividade.

Os últimos estudos têm mostrado que os exercícios reduzem as dores, aumentam a sensação de bem-estar, trazem realização pessoal e qualidade de vida, já que os pacientes evitam as consequências de ser sedentários, como obesidade, problemas cardíacos e diabetes. E não é necessário passar muito tempo se exercitando: 30 minutos, cinco vezes por semana, segundo a Sociedade Americana de Reumatologia, já são suficientes para sentir os benefícios e fortalecer a musculatura, o que ajuda a evitar ainda mais lesões. 

No entanto, o futebol, por exemplo, não é um esporte muito recomendado por exigir movimentos bruscos, rotações imediatas que não raramente causam fraturas. Para se sentir seguro e saber que você não vai provocar desgastes nos ossos, procure um ortopedista que faça a avaliação completa do seu quadro. 

Quem pratica esportes sem se preparar previamente, sem orientação e com volume e intensidade acima da capacidade tem riscos enormes de acelerar a degradação da cartilagem, o que faz a artrose aparecer mais rápido na sua vida – ou mesmo avançar. 

Exercícios recomendados:

  • Caminhadas não muito extensas, ciclismo, natação, hidroginástica, ginástica aeróbica, ioga e dança são exemplos de exercícios aeróbios que beneficiam o sistema cardiorrespiratório e o metabolismo, de forma geral.

  • Quer fortalecer os músculos? O treinamento funcional, o pilates ou a musculação podem ser essenciais e ajudam também a trabalhar equilíbrio. Mas sempre com orientação. Jamais exagere na sobrecarga de peso. Esteja sempre atento às posições certas, assim você evita lesões. É essencial ter um instrutor por perto que avalie se o posicionamento está correto, se o peso está adequado

Mas cuidado:

Corridas de rua ou de montanha exigem preparação e orientação específicas. Um estudo da Baylor College of Medicine, do Texas (EUA), indicou que essa atividade não acelera a degeneração das articulações, desde que haja boa preparação física, volumes de treino adequados e desde que sejam respeitados os descansos entre os treinos. Ou seja, tenha um bom instrutor e siga as recomendações dele. 

E se eu sentir dor durante a atividade física?

Isso é bastante comum, mas algumas dicas podem ajudar. A primeira delas é consultar o ortopedista para saber o que pode ter acontecido (se a dor for forte). É possível que seja necessário reduzir a frequência das atividades. 

Invista sempre no aquecimento antes e no alongamento depois do exercício. Lembre-se de adequar a atividade ao seu ritmo, ao peso que não sobrecarregue seu corpo e, se for preciso, diminua a intensidade. 

Use equipamentos anatômicos: tênis e roupas adequadas fazem toda a diferença.

Se a dor for forte e constante ou se aumentar depois dos exercícios, ou ainda, se houver inchaço e vermelhidão nas articulações, marque uma consulta com o ortopedista. Cuide das suas articulações e evite que as dores aumentem.

Outros artigos

  • quem tem artrose pode fazer corrida?

Quem tem artrose pode fazer corrida?

Quando a pessoa sabe que tem artrose, sempre surge a dúvida: Quem tem artrose pode fazer corrida? Antes de responder, vale destacar: desde que seja uma atividade moderada - entende-se por [...]

FALE CONOSCO

Você pode entrar em contato pelos telefones, redes sociais ou pode enviar uma mensagem