O futebol é um esporte perigoso

O jogador precisa fazer movimentos bruscos, giros diversos, enfrentar os oponentes de forma bruta, precisa saber cair, saber levantar, levar chutes – e ainda ver os gols do adversário, se o time não estiver em um dia bom. Fora esses sofrimentos, muita gente sente as dores da artrose no quadril ou no joelho, regiões mais usadas pelos atletas em um jogo de futebol. E aí surge a pergunta:

“Posso continuar a jogar futebol com artrose ou não?”

A resposta sempre depende do quadro em que a artrose está. Qualquer desgaste nessas articulações tende a aumentar, o que pode levar a artrose a um estágio avançado. Logo surgem ainda mais dores, mais limitações de movimentos, e assim há necessidade de um tratamento cirúrgico. A questão não é que o futebol causa a artrose. Quanto mais se joga, mais se tem movimentos bruscos e o desgaste de articulações é maior, o que favorece o surgimento da artrose.

Quando surgirem dores nas articulações, a melhor saída é procurar um ortopedista que faça uma avaliação do caso e sugira um tratamento ou a cirurgia de prótese, dependendo do quadro. Afinal, há diversos fatores envolvidos, como o peso do jogador e a quantidade de vezes que ele joga em uma semana – tudo isso é levado em conta para determinar se ele pode continuar a jogar ou não.

Quando devo parar de jogar?

A resposta geralmente leva em consideração o grau de artrose: se for um grau leve, sem dores, com pouca degeneração da cartilagem, não é preciso parar. Mas para quem tem desgaste mais avançado, é recomendável evitar atividades que envolvam joelho e quadril. Isso inclui esportes como o futebol, o basquete, o vôlei, as corridas de longa distância. O médico pode sugerir o tratamento ou uma cirurgia de prótese, se for o caso, e assim, você poderá voltar a jogar. Mas, durante o tratamento, evite esse e outros esportes.

Jogadores profissionais têm maior risco de desenvolver artrose?

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo, com 20 jogadores de 34 a 53 anos, que jogaram por 17 anos seguidos, comprovou que o futebol é um esporte que colabora bastante com o desgaste de articulações. Veja os dados:

  • 55% deles se aposentaram por conta de dores nos joelhos
  • 50% já fizeram alguma cirurgia de joelho
  • 70% tomaram infiltrações nessa articulação
  • 65% desenvolveram artrose

A conclusão é que o desgaste de treinamentos e de jogos tem grande impacto nas articulações e acelera o surgimento de artrose. Portanto, se é o seu caso, vale a pena ter o acompanhamento de um ortopedista que ao perceber os sinais possa adequar o melhor tratamento ou mesmo avaliar a cirurgia de prótese.

Vou poder jogar futebol depois da cirurgia de prótese?

Os médicos não costumam indicar que se retome o futebol, ou mesmo esportes de contato como voleibol ou basquete como exercícios principais. Isso porque a demanda mecânica nestas atividades é muito grande, sem falar no risco de acidentes. Contudo, muitos pacientes conseguem praticar estas atividades de forma recreativa sem pretensões competitivas, sob sua própria conta e risco.

Dicas para entrar em campo de forma saudável

  • Não entre sem aquecimento adequado, e não saia dele sem fazer alongamento.
  • Chuteira velha ou de má qualidade pode causar torção, fraturas e entorses. Invista em equipamentos de boa qualidade: não só tênis, como roupas e meias adequadas podem evitar acidentes.
  • Não esqueça a caneleira, que protege bem de lesões.

Outros artigos

VOLTAR PARA TODOS OS POSTS

FALE CONOSCO

Você pode entrar em contato pelos telefones, redes sociais ou pode enviar uma mensagem

Agendar uma consulta
WhatsApp
Formulário